"A poesia é também uma forma de filosofar, de tentar compreender o movimento da vida, dar-lhe algum sentido, traduzir-lhe para os outros seres, usando mais o sentimento do que a razão. Os ingredientes dessa arte de profundidade filosófica provêm das experimentações das situações que a própria vida fornece, tantas vezes, independente de nossas escolhas. E a tradução é sempre acompanhada de beleza, de leveza, porque não se prende a nenhum proprietário. A poesia se doa a todo aquele que se reconhece e se apropria daquilo que percebe nos seus versos. Está sempre em estado de transformação, sempre interagindo, sempre sendo traduzida segundo a emoção e o conteúdo interno daquele que lê, no momento em que lê. A poesia está sempre viva!"

Sônia Arruda

outubro 09, 2012

A palavras está viva

por Sônia Arruda

Palavras estouravam na mente inquieta
Percorriam brechas e caminhos líquidos
E se esparramavam por mãos chuvosas
Imagens desenhadas na retina poeta

Palavras escalavam muros e, às portas
Não ficavam paradas. Sem cerimônia
Arrombavam cada placa imóvel e muda
Coloriam as paredes de casas mortas

E mesmo as quietas e com cheiro triste
Ou aquelas fracas, de desejo esquecido
Saltavam dos cantos onde adormecidas
Apontavam a alma. Seus dedos em riste


Um comentário:

Carlos Rímolo disse...

Querida amiga Poetisa Soninha !!!!

Vim visitá-la e deleitar-me com suas belíssimas poesias. Me permite? São lindas. Adorei. Queria ser seu seguidor, mas não achei o campo específico. Meus parabéns!
Beijos de luz !!!

Poeta Cigano - 14/10/2012

http://carlosrimolo.blogspot.com